Amamentar é - aleitamento materno | por Chris Nicklas

ver menu buscar

Dicas de especialistas /Vídeos

Consultora em AM: Técnica de encurtamento

A consultora Bianca Balassiano da dicas para um desmame sem traumas!

  • 16/06/2015
  • Chris Nicklas

A pergunta que não quer calar: – Depois de tanto investimento na Amamentação, na Livre Demanda, tanto esforço e sofrimento… Como desmamar?! Como tirar as últimas mamadas sem sofrimento para mim e para o meu filho?

Muitas vezes conversei com mães aqui no Amamentar é… sobre este impasse. O que para algumas é tranquilo, natural e espontâneo, para muitas outras pode se tornar um labirinto. É claro que por trás de toda esta angústia residem as mais densas e complexas questões que só quem é mãe tem alguma chance de entender, mas o fato é que quanto mais se prolonga o sofrimento pior é para os dois, mãe e filho.

Falar sobre desmame num projeto que defende a cultura do Aleitamento Materno não tem nada de contraditório, muito pelo contrário, afinal todas nós amamentamos em direção ao desmame. É claro que o tempo que cada uma amamenta o seu bebê é uma decisão de cunho absolutamente pessoal, mas se o final do desmame está se tornando um drama para a dupla mãe/bebê temos que falar sobre isso. Não suporto ver vocês sofrendo! 😉

Ouço falar que muitas mulheres desesperadas recorrem a medidas que acabam por tornar o final do desmame uma passagem abrupta, um corte repentino sem que o bebê esteja preparado para tal. Percebo que é muita dor e angústia para as mães e consequentemente para os seus pequenos.

Por isso considero de extrema importância falar sobre isso. Para que possamos elaborar soluções e saídas que não custem tão caro a todos os envolvidos.

A consultora em AM e mãe Bianca Balassiano teve a generosa iniciativa de compartilhar nas redes sociais algumas das saídas que encontrou para lidar com os seus labirintos. Compartilho aqui seu texto e o vídeo em que mostra uma das formas que encontrou para dialogar com seu filho que tem mais de um ano, e começar a colocar limites nas mamadas sem sofrimento para os dois.

Para as mães que procuram por reflexão sobre o final do desmame e dicas vale a pena seguir esta série!

Que fique claro que esta experiência da Bianca pode tanto servir de forma literal para outras mães como pode ser simplesmente uma inspiração para que cada uma encontre o seu próprio caminho. O que é importante frisar é que somente o bebê com mais de um ano de idade tem condições de compreender o que é proposto na série.

Aqui vai o seu texto introdutório. Boa sorte para todas!

“Vamos falar de desmame? Para quem está vivendo as dificuldades do início da amamentação, pode até parecer brincadeira quando falamos que desmamar pode ser bem difícil. Mas quem vive isso de perto sabe que pode ser um grande desafio. O passo inicial será sempre no sentido de controlar a demanda, uma vez que, impondo regras e limitações, a criança pode rapidamente compreender que esta é uma relação dela com outra pessoa, e não somente o seu desejo que está em jogo. Para ajudar neste processo gradual e respeitoso com bebês que já tem uma capacidade de compreensão mais extensa (a partir de 1 ano e 3 meses em média), fazemos uso de quatro principais técnicas: adiamento, encurtamento, substituição ou distração de mamadas.

Hoje vou falar mais detalhadamente sobre a técnica de encurtamento: podemos fazer uso dela quando percebemos que o bebê/criança só quer dar aquela “bicadinha” por segurança, mas não está efetivamente interessado ou precisando mamar. Ou também pode ser muito útil no sentido de diminuir as mamadas noturnas até a eliminação final. A ideia é diminuir o tempo desta mamada específica até que ela seja eliminada. Pode-se fazer uso de uma música específica (de preferência que a criança goste e que tenha duração de 30” a 1′ – “ABC” ou “dona aranha” costumam fazer sucesso) ou ainda podemos sugerir uma contagem quando a criança já conhece os números. Neste vídeo eu uso a técnica com meu filho e sugiro contar de 1 até 10, porém ele retruca e prefere “1, 2, 3 e já” – ambas estão valendo – o importante é manter a coerência – desde que no final seja dado o impulso para que a criança largue o seio com bom humor e se engaje em uma atividade mais interessante!

Na próxima semana explicarei com detalhes mais uma das técnicas de limitação de mamadas. Qualquer dúvida entrem em contato!”

Veja aqui a segunda parte dessa série, que trata da técnica de substituição e distração.

Autoria do texto: Psicóloga Perinatal Bianca Balassiano

Saiba mais sobre o trabalho de Bianca Balassiano no link abaixo:
http://www.psiperinatal.com.br/
https://www.facebook.com/psicologaperinatal?fref=ts

 

CHRIS NICKLAS

Mãe de gêmeos, formanda em psicologia, fundadora e gestora do Amamentar é…