Amamentar é - aleitamento materno | por Chris Nicklas

ver menu buscar

Desenvolvimento do bebê /Dr. Daniel Becker

O hábito de chupar o dedo

Deve ser impedido ou não? Até que ponto é natural chupar o dedo?

  • 25/04/2016
  • Dr. Daniel Becker

-Ele vai chupar o dedo!!!!! É assim que entramos em pânico quando o bebê começa a colocar os dedos na boca! O polegar então, nem se fala!!!

A primeira coisa que tememos é que isso se torne um hábito. Chupar o dedo é um dos mitos com os quais lidamos na maternidade. Deforma a boca da criança, não temos como tirar o dedo da mão do bebê ( rsrsrs! ) e por aí vai…

O medo é tanto que tem famílias que antes mesmo de o bebê dar sinais de que vai começar a colocar as mãos na boca já oferece a chupeta, como medida de “precaução”. Esquecem-se de que a chupeta também faz mal para o desenvolvimento oral do bebê e pode desembocar numa dependência bastante séria.

Mas será que precisa de tanta tensão e estardalhaço? Será que colocar as partes do corpo na boca não é uma etapa necessária do desenvolvimento do bebê?

O quanto a nossa interferência não é precipitada e maléfica?

Muitos estudos apontam que a grande maioria dos bebês que chupam o dedo, antes de completar um ano dão sinais de que largarão este hábito gradativamente, e sem que precisemos fazer nada. Os desenvolvimentos motor e neurológico dão conta de eliminar essa necessidade e então a criança passa para uma outra etapa.

É claro que o emocional dela pesa e pode dar outros rumos ao final dessa história, mas esperar para ver as cenas do próximo capítulo pode ser uma boa dica.

Eu sei… da nervoso! Não é nada fácil. Por isso levei este tema para conversar com o Dr Daniel Becker que compartilha com o Amamentar é.. do seu ponto de vista sobre esta questão.

Vejo que muitas vezes o uso da chupeta afeta a evolução da amamentação, não só por prejudicar a pega correta, mas também por ser oferecida quando o bebê pede para mamar e é mal interpretado pela mãe, que acha que este não pode estar com fome pois acabou de sair do peito.

Essa é uma decisão de cunho absolutamente pessoal e sei que na hora do desespero a chupeta é a primeira coisa que passa por nossas cabeças ( passei por isso! ), mas não custa nada debater e tentar entender o que se passa na vidinha do bebê.

Me recordo bem de quando, no meio da madrugada, tentei de qualquer forma convencer meus dois bebês gêmeos, que choravam sem parar, a pegar a chupeta! Mas não houve jeito. Hoje fico feliz por eles não terem aceito e por eu não ter insistido. Por isso digo que entendo a situação.

Beijo

Chris

 

 

Acompanhe o trabalho do dr Daniel Becker por aqui: Pediatria Integral

DR. DANIEL BECKER

Pediatra com 20 anos de experiência em consultório privado no Rio de Janeiro. Formado pela UFRJ, especialista em Homeopatia e mestre em Saúde Pública.