Amamentar é - aleitamento materno | por Chris Nicklas

ver menu buscar

Saúde do bebê /Vídeos

Fonoaudióloga: Choro como forma de comunicação

A fonoaudióloga Aline Sudo fala sobre a importância do choro do bebê como meio de comunicação.

  • 14/08/2014
  • Chris Nicklas

O choro do bebê é um dos principais motivos de desmame precoce em nossa cultura. Interpretar suas diferentes formas e nuances é um dos maiores desafios para mães e cuidadores. Há choros pelos mais diversos motivos: fome, sono, cólica, gases, fralda suja, arroto, frio, calor… E claro, os mais misteriosos que são fruto de emoções e sentimentos.

O fato é que na grande maioria das vezes concluímos que é fome, e a culpa é sempre do coitado do leite materno que não estaria dando conta do recado. A primeira coisa que ouvimos das pessoas que estão ao nosso redor é: – Dê a mamadeira! Você não tem leite suficiente!

Sem pararmos para ouvir este chamado, com atenção e calma, perdemos a possibilidade de entrar em contato com a real demanda do bebê. A oportunidade que o choro dele nos oferece é de conhecer o neném e seus processos, sem atropelá-lo e silenciá-lo com algo que nem sequer é o melhor para a sua saúde e desenvolvimento.

Tanto a mamadeira como a chupeta interrompem uma tentativa de comunicação que é de imensa importância para o processo de reconhecimento entre mãe e filho.

Mas infelizmente não conseguimos…

Ao ouvirmos nosso bebê chorar fazemos qualquer coisa para aplacar aquilo que nos causa tanta angústia. Somos incapazes de parar, pensar, observar e aprender com essa experiência. Vivemos numa cultura que vê no choro, ou em qualquer outra expressão de desconforto ou sofrimento, algo que deve ser eliminado imediatamente, quebrando uma conexão que soma muito à dupla mãe/bebê.

Antes de oferecer a mamadeira ou a chupeta, pare e pense. Descarte outras possibilidades: procure ajuda técnica para checar se a pega do bebê está correta, procure se certificar se o bebê não está com algum outro incômodo que não passe especificamente pela fome e se por um acaso todas as opções tiverem sido consideradas, e não for nenhuma delas, simplesmente acolha o seu filho, dando o peito ou não, mas não sabote a amamentação dando leite em pó. Você vai gradativamente desenvolvendo a capacidade de acalmar e acalentar seu bebê e isso fará você se sentir cada vez mais segura e fortalecida.

Ninguém disse que ser mãe é fácil, mas é gratificante.

Vejam o que a fonoaudióloga Aline Sudo tem a dizer sobre isso:

CHRIS NICKLAS

Mãe de gêmeos, formanda em psicologia, fundadora e gestora do Amamentar é…