Amamentar é - aleitamento materno | por Chris Nicklas

ver menu buscar

Parto /Parto e pós parto

Eu passei por uma cesárea e amamentei

Não, ela não impede. Mas atrapalha!

  • 01/06/2014
  • Chris Nicklas

Eu passei por uma cesariana no nascimento dos meus filhos gêmeos e os amamentei até os nove meses de vida. A cirurgia não foi motivo de impedimento para eu amamentar meus filhos.

Dito isso, gostaria de conversar com vocês sobre as chances de um procedimento cirúrgico como esse atrapalhar o Aleitamento Materno.

ATRAPALHAR! Não impedir! Este é outro esclarecimento imprescindível nessa conversa.

Então não é necessário que vocês me digam insistentemente que passaram pela cirurgia e amamentaram, ok? Eu sei que é possível, pois essa também foi a minha experiência.

Por que digo isso? Todas as vezes que posto a minha conversa com a Dra Ana Heloisa sobre os riscos da cesariana, um monte de mulheres comentam, algumas indignadas, que passaram pela cirurgia e amamentaram ou ainda amamentam tranquilamente.

Então deduzo que não está havendo uma boa compreensão sobre o que está sendo dito no post. Vou destacar alguns pontos que não ficaram claros para vocês.

A começar por:

–       Como disse a Dra não é a cirurgia em si que aumenta as chances de alguma coisa não dar certo na amamentação e sim “a conduta dos médicos” que se segue a ela. Amamentar é possível até para uma mãe adotiva! Através do uso de uma sonda, com o estímulo do bebê no peito, começamos a produzir leite. Inclusive sem o artifício do uso de nenhum remédio!

–       A cesariana aumenta as chances do bebê ser tirado da barriga ainda prematuro e ter que passar alguns dias na UTI Pré Natal, o que leva a mãe à um estado emocional frágil e de angústia, e isso também pode afetar a produção de leite. Há uma margem de erro no cálculo do ultrassom sobre em que semana está a gestação.

–       O mais comum, depois da cirurgia, é que o bebê seja afastado da mãe nas primeiras horas de vida o que retarda o primeiro estímulo da boca dele na mama, atrasando a descida do leite, o que também desencadeia muita ansiedade na maioria das mães, que aflitas oferecem o complemento por insegurança de que o leite não vá descer.

–       Quando o que se segue a cesariana é igual ao que acontece no parto normal, ou seja: o bebê não é afastado da mãe e ainda na sala de parto é colocado no peito, tudo corre da mesma forma! O processo da amamentação não é afetado.

 

Agora, é definitivo que se entenda que o debate sobre a cesariana, e seus prós e contras, acontece por que ela, que é um a escolha médica que deve ser feita quando há riscos para mãe ou para o bebê ( ou para ambos ), ocorre indiscriminadamente em nosso país causando o mal para muitos! Tantos bebês como mães.

Por isso escolha seu obstetra com cautela. Pesquise seu histórico médico e descubra com que frequência ele recorre a cesariana.

E a mãe que teme as dores do parto vaginal, leve em consideração todos os riscos que se apresentam para você e seu bebê quando for agendar a cesária orientada somente pelos cálculos de um aparelho de ultrassom.

 

 

 

CHRIS NICKLAS

Mãe de gêmeos, formanda em psicologia, fundadora e gestora do Amamentar é…