Amamentar é - aleitamento materno | por Chris Nicklas

ver menu buscar

Chris Nicklas /Colunistas

Amamentar não é um ato de amor

O que você diria se ouvisse esta afirmação?

  • 26/03/2015
  • Chris Nicklas

redimensionamento.php

Já conversei com vocês por aqui sobre como me preocupa a abordagem que muitos órgãos que lutam pelo Aleitamento Materno fazem na defesa da causa.Tenho total convicção de que o movimento em prol da recuperação da cultura da amamentação perde força quando deixa de falar com a mãe que, pelos mais diversos motivos, complementa com leite modificado ou desmama precocemente depois de ter passado por uma gama enorme de dificuldades. A segregação entre mães enfraquece o movimento pois cria uma rixa entre as que “atravessaram a arrebentação” e seguem amamentando e as que sucumbem.

Parte da responsabilidade deste fenômeno social, ao meu ver, reside no fato de que em nossa cultura o ato de amamentar é  revestido de uma áurea que para muitas mulheres nem sequer está lá. A partir do momento que categorizamos o Aleitamento Materno como um ato de amor descartamos deste universo romântico/maternal uma multidão de mulheres que não alcançaram sucesso na empreitada de amamentar seus filhos. E isso me angustia profundamente!

Quando encontro textos e artigos que colocam essa questão com clareza me acalmo por perceber que não estou sozinha nessa forma de ver os fatos.

Tais Vinha é filha de uma das grandes batalhadoras do Aleitamento Materno no Brasil e no mundo. Vera Heloisa Pillegi Vinha foi Docente da Faculdade de Enfermagem da USP de Ribeirão Preto, ajudou a formar núcleos de aleitamento por todo o país, colocou o assunto na pauta da formação de profissionais, escreveu livros (como o da foto acima) cartilhas e foi conselheira da OMS sobre o tema, para os países de língua latina.

Tais escreve um Blog chamado Ombudsmãe que contém este texto que compartilho com vocês no link abaixo. Nele vocês encontrarão um diálogo no qual a Profa. Dra. Vera Heloísa Pileggi Vinha defende o seguinte ponto de vista: “Pois é…mas amamentar é dar alimento. O melhor alimento. O mais completo e o que melhor nutre o bebê. Já amar é outra coisa. As pessoas que confundem as duas coisas, sem querer, estão fazendo um desserviço ao aleitamento, pois as mães ficam mais ansiosas, culpadas e cheias de temores. Todos sabem que uma mãe tranquila amamenta melhor. E como uma mãe pode amamentar tranquila se ela acha que estará dando menos amor para seu bebê se fracassar? Olha o peso deste sentimento!…”
O debate é rico e abre uma janela de luz neste quarto escuro em que se transformou a saga da Amamentação na vida de muitas brasileiras. Com este olhar é possível dar mais leveza ao assunto despindo-o do mito que o encobre.

 

http://ombudsmae.blogspot.com.br/2009/04/amamentar-nao-e-um-ato-de-amor.html?m=1

CHRIS NICKLAS

Mãe de gêmeos, formanda em psicologia, fundadora e gestora do Amamentar é…